O escritório F.Costa & Antonia A.
visa proporcionar soluções jurídicas preventivas e TI o qual atendam adequadamente aos interesses de seus clientes, propomos alternativas preventivas com avaliação percuciente de riscos, orientação clara ao cliente através de experiência multifuncional adquirida ao longo do tempo.

Sempre atento, nosso escritório centraliza esforços numa atuação preventiva, estruturando negócios e contratos, sob as mais variadas formas jurídicas e informacionais, com o objetivo fundamental de garantir segurança a seus parceiros, propiciando agilidade e certeza no processo decisório.

Com atendimento personalizado e acessibilidade facil, o escritório atende perfis diferenciados no que concerne a pessoas físicas e jurídicas, respeitando as peculiaridades e buscando satisfazer às expectativas diferentes de cada uma delas.
  • Cível: reparação de danos, revisional de contratos e outros
  • Empresarial: Registro de Marcas no INPI, Trabalhista
  • Família: Divorcio, Alimentos
  • Sucessões: Inventários, Alvarás
  • Consultoria preventiva com parecer jurídico
  • GED - Gestão Eletrônica de Documentos (especificamente em birô de digitalização e indexação de documentos)
  • Toda a solução em GED é voltada em propor a melhor solução para o cliente
  • Consultoria em TI (Hardware e Software)
Textos do Blog

A transparência em tempos de internet massificada



 



Por Wosley Nogueira* - 11/08/2013


 


Neste sábado, dia 10 de Agosto de 2013, participamos do I Encontro Geral do Sinergia, momento de muita riqueza institucional,replica watches durante as duas horas de reunião. Neste texto, vou me deter em uma reflexão fomentada pelo colaborador Elinaudo acerca dos princípios que norteiam nossa organização, são eles: Solidariedade, Inovação, Transparência, Visão Sistêmica, Protagonismo e Militância Institucional. Na dinâmica proposta, fiquei responsável por “vender” a necessidade do princípio da transparência aos colaboradores presentes, de forma que minha exposição pudesse resultar na “contratação” desse princípio pelo Sinergia. 


Na minha breve exposição, coloquei os seguintes aspectos: “A necessidade da transparência resulta em um clima de confiança e credibilidade, tanto internamente quanto nas relações com os parceiros e os públicos. Ela não pode resumir-se apenas a prestação de contas, do ponto de vista econômico-financeiro, é fundamental contemplar também os fatores intangíveis que conduzem a agregação de valor nos serviços prestados”. Pois bem, a reflexão sobre esse princípio perdurou todo o meu fim de semana e me senti compelido a escrever esse texto para reforçar minha percepção conceitual e aguçar a reflexão sobre a sua importância nos tempos de internet massificada.


De acordo com o dicionário Aurélio, transparência, do latim transparentia, rolex replica watches é a qualidade do que é transparente. Portanto, passemos para a definição de transparente, que significa em seu aspecto figurativo “cujo sentido oculto se deixa perceber”, e acrescentando mais termos à definição temos: evidente e claro. Concluímos, portanto, que transparência é a capacidade de tornar perceptível aquilo que não é ou não está evidente.


Observando a sociedade civil organizada, identificamos em muitas organizações ou movimentos, que os seus objetivos, a estrutura, o funcionamento e os resultados não são claros para os seus colaboradores internos, nem para os beneficiários dos projetos, nem para os parceiros, e muito menos para a sociedade em geral. Isso dificulta a construção da credibilidade e da confiança, atrapalhando o fortalecimento da identidade institucional, sua captação de recursos, bem como a possibilidade de divulgação e replicação daquilo que está dando certo.


É neste contexto que surge o princípio da transparência, que é muito mais do que a obrigação de informar e o desejo de disponibilizar para as partes interessadas e envolvidas todas as informações que sejam de seu interesse, nem deve ser norteado apenas pelas imposições legais, mas pela percepção estratégica de que a transparência está diretamente ligada ao princípio da visão sistêmica que cada organização precisa possuir. 


Em seu artigo sobre “Transparência no Terceiro Setor”, o administrador público Alexandre Machado Luz, nos chama a atenção para a necessidade de construção de uma entidade transparente por meio da adoção de algumas medidas essenciais:



  • Possuir uma missão, visão e princípios claros: a entidade deve saber com clareza a razão dela existir, aonde ela quer chegar, como quer ser vista pela sociedade e de que forma irá agir para atingir seus objetivos.


  • Saber qual o objetivo da entidade e de cada um de seus projetos: ter pré-definido quem serão as pessoas atingidas pelos projetos e que diferença isso fará na vida destas pessoas, se possível tomando essas decisões com base em pesquisas.


  • Definir qual a estrutura da entidade: como ela é organizada, como seleciona suas pessoas, como pode se tornar profissional. Um Estatuto Social pensado e discutido (e não um modelo genérico) é muito importante.


  • Saber de onde vêm seus recursos: mapear suas fontes de recursos e ter uma estratégia de captação consistente e de longo prazo para recursos públicos, privados, doações, venda de produtos etc.


  • Definir como os recursos são gastos: identificar quem realiza as compras e gastos da entidade, como ela gasta e porquê. É necessário uma estratégia clara para despesas e a definição de quem são os responsáveis por essas atividades.


  • Garantir que os recursos sejam gastos da melhor forma possível: deve haver um método pré-definido para aquisições, a maneira como os fornecedores são selecionados, se os recursos públicos são gastos na forma prevista em lei, bem como uma comprovação para os doadores e investidores que os recursos privados serão muito bem gastos.


  • Elaborar o Balanço Financeiro e Demonstração de Resultados da entidade: assim como uma empresa, para possibilitar um planejamento de longo prazo para as entidades sociais, é necessário ter um bom acompanhamento do fluxo de caixa, do balanço e das demonstrações de resultado da entidade.


  • Criar um Balanço Social para a entidade: saber qual o resultado das políticas da entidade, quantas pessoas foram atendidas e qual a diferença que isto representou para elas, acompanhando suas ações por meio de indicadores quantitativos e qualitativos.



É óbvio que esta cultura desejável de transparência ainda não é possível para boa parte da sociedade civil organizada, entretanto, em tempos de massificação do uso da internet e popularização das mídias sociais, ter um website que apresente sua estrutura, sua missão, visão e valores, quais são seus objetivos, que projetos são desenvolvidos, como entrar em contato para obter mais informações, além do uso eficiente das mídias sociais disponíveis, são hoje condições fundamentais para a sua sobrevivência.


A internet é um canal incrível para propagar nossas ideias, valores, encontrar possíveis colaboradores, investidores, sinergizar ações de cooperação e comunicar resultados. Talvez seja a ferramenta de comunicação que possua hoje o melhor custo-benefício em sua utilização. Os meios disponíveis estão baratos, fáceis de utilizar e com alcance imensurável, gerando um leque de possibilidades outrora inexistentes.


Portanto, fiquemos atentos! A utilização desses meios para viabilizar ações de transparência são as chaves do presente para estabelecermos os alicerces da credibilidade e quem não souber navegar neste mar de possibilidades está fadado a naufragar, por não conseguir comunicar transparência, mesmo que já seja de confiança.


* Wosley Nogueira é Assessor Técnico do Instituto Sinergia Social. E-mail: wosleynogueira@gmail.com.br


 








institutosinergiasocial@gmail.com

© 2013 - Instituto Sinergia Social. Todos direitos reservados.